DICAS DE FILMES, LIVROS, BARES, PEÇAS E ESPETÁCULOS NO RIO DE JANEIRO

Cinema

MEIA NOITE EM PARIS

Este slideshow necessita de JavaScript.

Mais uma dicazinha de cinema! Eu como boa consumidora de filmes do Woody Allen, quase nunca deixo de ver algum, independente do nome ou de história que pouco me atraia. Pois bem, acho que há um ano mais ou menos, fui ver “Você vai conhecer o homem dos seus sonhos” e quase morri de tédio, tudo que eu conseguia pensar era no incrível “Vicky Cristina Barcelona“, que tinha visto pela primeira vez na mesma época. Maas o segredo é não se deixar influenciar.

Quando vi o ator principal do novo longa “Meia Noite em Paris, brochei um cadinho. Até gosto dele, o Owen Wilson, mas sei lá, não esperava. Acabei no cinema vendo o filme em um sábado à tarde. Precisava almoçar, não tinha comida em casa, e a Praça de Alimentação do shopping estava lotada, então fui comer dentro do cinema sem entusiasmo. Me ferrei. Já nos primeiros 10 minutos, como um tapa na cara, o filme mostra sem censura aquelas paisagens arrebatadoras, prédios, monumentos e detalhes de Paris que te fazem querer chorar. Logo logo você vai entendendo o enredo do filme e simplesmente se encanta.

Gil é um romântico incurável daqueles que acha que deveria ter nascido na Paris de 1920, onde a vida era cultura e o cotidiano cheio de relações incríveis com pessoas memoráveis. Ele, escritor de 2011, é roteirista de Hollywood, seu ganha pão. Mas com a esperança de realizar seus sonhos, parte pra Paris onde pretende se inspirar e escrever um grande romance. Inseguro, Gil não consegue mostrar o esboço do livro para ninguém de sua família, especialmente sua noiva, uma americana extremamente fria e com gosto especial pela modernidade e dinheiro. Gil acaba se embebedando uma bela noite que sua mulher sai pra curtir uma festa parisiense, e como num sonho, vai parar em outra festa em plenos anos 20, com todos os seus ídolos literários, musicais e artísticos. Logo, Gil descobre que todo dia à meia noite consegue fazer o passeio, e passa a conviver com a outra época. Vira amigo do escritor Hemingway, dos pintores Pablo Picasso e Salvador Dalí, além de entregar o manuscrito do seu livro à Gertrude Stein. Entre tantos outros personagens.

Sério, vejam! É ótimo!

Por Juliana Dargains

Anúncios

Qualquer gato vira lata

Já que ultimamente a novidade é só filme no cinema, vai aí mais uma dica de uma garota que anda em falta com o blog.

Apostar em uma comédia romântica brasileira num fim de semana que poderia prometer pode ser uma manobra perigosa, mas o resultado foi positivo! O filme “Qualquer gato vira lata” já começa certo porque é estrelado pelo Malvino Salvador (um daqueles homens-escândalo) e ok, pela Cléo Pires. Bom, a história é de uma menina meio louca e obsessiva que namora um cara que come todas e ainda a ignora na maior cara de pau. Eles terminam e louca da vida ela tenta descobrir o que fez de errado. Eis que aparece um professor de biologia na vida dela, com uma teoria absurda de que no mundo animal o macho (independente do animal) foi programado para propagar a espécie e a fêmea tem o dever de conquistá-lo e conviver com isso de forma natural. Para esse professor falta apenas uma prova que permita sua tese ser publicada. Ela então vira a tese e ele tenta orientá-la para conseguir o antigo namorado de volta. Mela cuecaa! Mas engraçado! O final não vou contar, mas é isso mesmo que vocês estão imaginando…

Por Juliana Dargains


Chapeuzinho Vermelho e o Lobo Mal

A capa assusta mais do que o filme!

Domingo com Faustão não rola! Por isso, assisti a dois filmes (seguidos) que estavam em cartaz no cinema faz um tempinho: Sobrenatural e A Garota da Capa Vermelha.

Comecei pelo terrorzinho básico…básico mesmo! O Sobre… conta a história de uma família que acaba de se mudar para uma casa nova e descobre que abriga um hóspede do mal (no caso, um espírito). O filho mais velho do casal entra em coma do nada. Eles decidem se mudar da casa mal-assombrada, mas o hóspede vai junto. (Uma mala!)

Bem, eles fazem de tudo para descobrir o motivo do sono profundo de seu filho. É AÍ QUE TUDO FICA MEIO RIDÍCULO! O tal espírito do mal perde a credibilidade pra mim quando aparece: é um daqueles carinhas do mal do Star Wars, um que eu fiz questão de tirar fotos na Disney e por isso sofri preconceito de meus amiguinhos no colégio… É um Sith (joguei no Google, logicamente! Joga também!)

Bem, já posso dizer o que meu bonequinho achou disso tudo, né?! Perda de tempo para quem achou que ia levar uns sustos, porque tudo fica meio Terror em Silent Hill > que eu particularmente ODEIO! Monstros…

A Garota da Capa Vermelha...

A Garota da Capa Vermelho, com a Amanda Seyfried no papel da moderna Chapeuzinho Vermelho, eu gostei. Deve ser porque é um Crepúsculo Redux. rs* A Garota traz para as telinhas uma nova visão da fábula dos irmãos Grimm. O filme conta a história de uma jovem que vive numa vila medieval aterrorizada por um lobisomem e que se apaixona por um órfão (e lindinho) lenhador, o ator Shiloh Fernandez, para desagrado de sua família e de seus demais pretendentes. É bem açãozinha…O lobo querendo que a Chapeuzinho Vermelho se junte a ele…E o mistério: Quem matou Odete Hoitman?…Quem é o Lobo Mal?

Esse o meu bonequinho gostou, mas também não o fez aplaudir! Entre o garoto e a garota, ele fica com ela!

Por Marcelle Colbert

 

 

 


E que venha a quinta parte…com Tim Burton

E um filme com Depp tem como ser morno, como falam os críticos?

As críticas não estão muito do lado dele, mas eu estou! Piratas do Caribe – Navegando em Águas Misteriosas não é o melhor da sua série, mas com Jack Sparrow, o debochado Johnnynho Depp, vale a pena assistir ao quarto longa. Vi o filme da Disney em 3D, o que não achei tão sensacional, porque como em todos os longas em 3D, os trailers são mais interessantes.

Neste Piratas do Caribe, Sparrow (com cabelos mais claros, depois de um bronze) sai de Londres, onde apronta muito com os  soldados da realeza britânica, em busca da Fonte da Juventude. Ele acaba no navio do Barba Negra  e reencontra uma paixão antiga, Angélica, a Penélope Cruz. Ah…Jack se alia a Barbossa…E ainda tem a participação (segunda) do carinha que serviu de inspiração para Johnny: Keith Richards, que faz again o papito de Sparrow!

E que venha o Piratas do Caribe number five com a direção de Tim Burton, porque vamos combinar que  com Burton e Depp a química cinematográfica é FODA!

Meu bonequinho gostou, sim! E que se Da…&@#$ os críticos que dizem que o filme é morno.

:p > pra vcs!

Por Marcelle Colbert


Qual seu filme de terror preferido? Pergunta clássica, resposta original…

Quem está falando?

Mas é lógico que fui assistir a Pânico 4, um dia depois da estreia, no último sábado. Aproveitei o encontro mensal (que na verdade é sempre semestral) com meus amados amigos do coração (é muito amor), Manuela e Vicente, pra conferir o filme. Eu tinha certeza de que iria valer a pena pagar o caro ingresso do New York City Center pra matar a saudade de um dos clássicos do terror, que no fim das contas virou motivo de piada no mundo cinematográfico. Mas, que o primeiro da série foi sensacional, ISSO FOI. Até hoje lembro do dia em que peguei o filme na locadora. Bem…

Na quarta parte de Pânico, os meus personagens de sempre: a coitadinha da Sidney Prescott (Neve Campbell), muito bem definida no filme pelo (a) (s) assassino (a) (s) como uma nova versão do psicopata de Halloween Michael Myers, que assim como o nosso querido Jason, não morre nunca; a repórter e botox puro Gale Weathers (Courteney Cox); e o xerife Dewey (David Arquette).

Sairam do cinema sem querer me matar, como da última vez!

É engraçado do início ao fim, não por ser ridículo, mas por debochar o tempo todo deles mesmos! ADORO auto-deboche! As cenas de abertura são um dos pontos altos>>> nem vou dar muitos detalhes pra não perder as surpresas!

Dá uma olhada na sinopse que roubei no site do UCI e melhorei:

Dez anos se passaram e Sidney Prescott é agora uma reconhecida autora de livros de auto-ajuda. Na última viagem de divulgação de sua publicação, Sidney vai a Woodsboro. Em sua cidade natal, ela reencontra o xerife Dewey e Gale, agora casados. O probleminha é que a sortuda é atormentada pelo novo (s) ou velho (s) Ghostface (s).

O final do filme eu já previa! Né, Manu e Vi?! É bem original !!!

Resumindo: meu bonequinho diz que Pânico 4  virou um clássico do humor negro…superou Mamãe é de Morte, topo de sua lista. Ele também adorou as novas formas de matar. Vivendo e aprendendo…


Outro post dentro deste post

Antes ou depois do cineminha, uma das dicas pra matar a fome é ir no The fifties, lanchonete estilo anos 50, logicamente. Gostei dos sandubas e do ambiente. Não é baratinho, mas é gostoso!

Por Marcelle Colbert

 


Técnicas de exorcismo em “O Ritual”

 

Aulas de exorcismo em "O Ritual"

O que eu achei de O Ritual? Muito engraçado! Sim! Morri de rir…ah, também morri de medo… eu e a Juliana Dargains, minha companheira de filmes de terror! No início do longa, ela foi a única a dar um grito estridente…Foi bom pra deixar o ambiente mais cômico, já que todos riram da cara dela (coitada da minha amiga! Além de comer uma pipoca horrível e uma Pepsi quente, ainda passa vergonha!). Vamos ao filme, estrelado por ninguém menos que Anthony Hopkins, o eterno dr. Hannibal Lecter:

Achei  O Ritual um pouco diferente dos “exorcistas” da vida… Se você quiser aprender como exorcizar “os coisas ruins”, é uma dica legal. rs*

 

O cético seminarista fofíssimo!

O começo já me deixou tensa. Na tela, em letras gigantes (exagerei!): BASEADO EM FATOS REAIS. Isso me atrai e assusta ao mesmo tempo. O Ritual conta a história do cético seminarista Michael Kovak (Colin O’Donoghue ou FOFÍSSIMO!), que frequenta uma escola de exorcismo no Vaticano, em Roma. Sua vida muda (e como muda…e não é nada divertido) quando encontra o ortodoxo padre Lucas (Anthony Hopkins), que apresenta o lado mais obscuro de sua fé.

O que mais gostei do filme foi o deboche. Ele faz piada de longas como O Exorcista. E os deboches dos possuídos? Sensacional! Deixou tudo mais leve, como o grito da Juliana.  Até que no fim do longa, de novo em letras gigantes, eis que surge na tela: Padre Lucas vive em Siena e Michael Kovak em Chicago. Podia sair do cinema sem informações detalhadas sobre a vida desse pessoal. Dormiria mais feliz.

Resumindo: meu bonequinho gostou do filme, mas não amou! E quase vomitou sopa de ervilha e girou a cabeça no estilo “Linda Blair bate cabelo” quando viu algumas cenas… Mas vale a pena assistir!

Por Marcelle Colbert


Cisne Negro é bom mesmo?

 

Natalie Portman arrasa!!!

Siimm! Nada como relaxar assistindo a um thriller psicológico…rs* Depois de tentar muito ir ao cinema, consegui, enfim, ver “Black Swan”, do polêmico diretor Darren Aronofsky, estrelado por Natalie Portman e com participação especial de Winona Ryder (que rouba a cena em alguns momentos. rs* Que piada ridículaa!). Cisne Negro, que já acumula mais de vinte prêmios e concorre em cinco categorias (Melhor filme,  Melhor diretor, Melhor atriz, Melhor roteiro original, Melhor fotografia e Melhor edição) no Oscar 2011, é tensão do início ao fim. É uma viagem (eu diria pesadelo também) à psique de uma jovem bailarina.

 

Inúmeros dramas existenciais...

Olha a sinopse (roubada do site do UCI!):

Apoiada pela mãe, uma bailarina aposentada, Nina se dedica totalmente à companhia de dança de balé da qual faz parte. A grande oportunidade da jovem surge quando o diretor artístico Thomas Leroy procura por uma dançarina para protagonizar O Lago dos Cisnes. Lily tem toda a aptidão para a sensualidade do Cisne Negro, enquanto Nina se mostra ideal para viver o Cisne Branco, inocente e gracioso. Nesta disputa, Nina passa a conhecer melhor o seu lado sombrio, e este autoconhecimento pode ser destrutivo.

>> Bem, meu bonequinho, que não opina há muito tempo, amou os inúmeros dramas existenciais do longa e torce para que o filme  ganhe pelo menos três estatuetas.

Por Marcelle Colbert


A vez do meu deuso!

 

O deuso da Juliana em O Turista

A mistura é das mais inteligentes: Johnny Depp + Itália. O homem da minha vida e de muitas mulheres, e a cidade dos amantes, Veneza, na escandalosamente linda costa italiana. Ok, tietagens à parte, o filme O Turistaé realmente muito bom. A história na sinopse dos sites é boba e vazia, mas não se deixem abater! Confiem no poder e credibilidade de um ator incrível e uma atriz realmente bonita, Angelina Jolie, que também arrasou no papel.

A história é a seguinte: Elise é seguida pela polícia britânica em Paris, onde mora. Ela seria a amante de um dos maiores sonegadores fiscais dos últimos tempos: Alexander Pierce, que deve mais de 700 milhões de libras à receita. Na esperança de alcançar o criminoso, a Scotland Yard monta uma mega operação de vigia e segue todos os passos de Elise. Mas Pierce tem outros planos, e faz com que a amante embarque em um trem para Veneza, onde ela encontra Frank (Johnny Depp), um professor de matemática que adora livros de espionagem, e é fracassado no amor. A mulher faz com que os britânicos que a seguem acreditem que Frank seja Alexander Pierce.

 O filme é de ação, mas não estilo “Duro de Matar 4” ou “James Bond”. O humor é sem dúvida marcante. Johnny age como um típico turista americano em uma cidade européia. Além disso se apaixona pela misteriosa mulher linda que dá bola para ele. É divertido e surpreendente. Na verdade, o jeito do Frank, personagem do Johnny Depp lembra vagamente o humor de “Piratas do Caribe”, não com aquela parafernália toda e nem a bebedeira, mas o professor faz caras e bocas, corre de um jeito e se mete em encrencas, do mesmo jeito que o Captain Jack Sparrow. Adorei, recomendo!

Por Juliana Dargains