DICAS DE FILMES, LIVROS, BARES, PEÇAS E ESPETÁCULOS NO RIO DE JANEIRO

Bar

Um sábado de sol com uma Sarará

Este slideshow necessita de JavaScript.

Não! Não é um filme! Também não! Não é o nome de um restaurante! É cevada…um chopp geladinho e feito de trigo, produzido pelos bares da Devassa. Acho que vale um post, é uma boa dica, afinal, como diz a minha sócia do blog, Renatchinha, é a felicidade engarrafada. Eu provei a Sarará no sábado, no New York (como eu queria dizer na cidade de N.Y, mas é na Barra da Tijuca “mermo”). Ela é super gostosa e desce que é uma beleza. É mais interessante que a loura, a negra, a ruiva ou a índia. Como diz minha outra sócia do garotasdeprogramas, Juliana, o mundo é bege! É! A frase não combinou, mas pouco importa. Gostei da frase e tive que colocá-la em algum buraco. rs*

Voltando a tal Sarará…é um chopp weiss, feito de malte de trigo e de cevada, com aromas que lembram banana e cravo. De coloração clara, mas aparência turva, por não ser filtrada, é uma cerveja de baixíssimo amargor, muito refrescante e ideal para os dias quentes de verão. Não! Não entendo tanto assim de cerveja a ponto de reconhecer os ingredientes dela…Foi Ctrl+C e Ctrl+V do site da Devassa.

Bem, é isso aí! Recomendamoss!  Sarará é vendida por R$ 8 e pouco, mas vale o custo-benefício!

Um brinde!

Por Marcelle Colbert


Benedito seja… ou não

O melhor da noite foram as meninas

Nada como tomar uma cervejinha com as amigas de repartição…numa quinta-feira…na Lapa.  Lá fomos nós, parte das garotas de programas, para mais uma missão. O lugar escolhido foi o Mas Será o Benedito, na Gomes Freire. Escolhido por acaso. Tudo culpa do ClickOn. Uma promoção. Tínhamos que testar uma super oferta juntas, afinal se é para se dar mal, é melhor estar bem acompanhada. Ou se dar bem também, claro!

Uma porção de batata frita com cheddar, um balde com dez cervejas, sinuca e entrada para um sambinha para duas pessoas. Tudo por R$ 30, quinze “real” para cada duplinha. Santo Benedito? Veremos: O casarão histórico e tombado é muito interessante exatamente porque é histórico e tombado.  Quando chegamos, fomos para o segundo andar, onde fica a mesa de sinuca, porque no terceiro o tal sambinha estava rolando alto, muito alto. A música não estava boa, mas beleza.

 

 

À espera do segundo combo...

 

– Vamos pedir os nossos combos!

– Cadê os garçons? Ah, a Julia vai buscar. Não precisa! Ele viu o pedido de socorro!

Pedimos, felizes, o nosso primeiro combo. E as batatas chegaram, depois de serem salvas de um afogamento no “mar de óleo”. O cheddar era um terror à parte. Ah, mas o bacon estava ótimo. E o balde de birras? Era Itaipava. Eu não curto muito, mas são cervejas.

– Mas cadê as dez cervejas, seu garçom? Só vieram sete!

– Já vem…

 

Foto com a espanhola...Era espanhola? Creio que seja...

 

Fomos embora, felizes porque nos divertimos e “cagamos” para o serviço ruim, as batatas gordurosas e a falta de algumas latinhas, que nunca mais foram vistas. Definitivamente, essa super promoção foi uma furada, mas a nossa saída foi ótima! É tão bom se divertir com essas meninas…No final, isso que importou. Benedito não seja, pelo menos quando o assunto é promoção.

Por Marcelle Colbert


Um pouco de aconchego e rock n´roll

Minha segunda-feira chuvosa e de trabalho (véspera do feriado) foi salva por um bar, na verdade, pub bem legal no Leblon/ Ipanema, eu não sei bem o bairro. O nome é Lord Jim. É uma casinha modesta, nada demais, e paga consumação. Mulheres recebem logo na entrada uma comanda cobrando R$ 20 (10 de consumação), para os homens é R$ 25 ( 15 de consumação). Eu achei que vale a pena. Resumindo, a entrada é R$10. Chegando lá é meio apertado, mas escurinho, bem decorado e tem música! Iei! O moço lá toca uns rocks bem legais e variados, inclusive vasto repertório de Dire Straits e REM, o que pra mim é pote de ouro no fim do arco íris.

Então, eu achei a comida bem barata, um pratão com um hamburger enorme e batata frita é uns 15 reais, preço de um lanche do Mc Donald´s, só que é melhor. Outra parte interessante são as cervejas, bem variadas, o que dá gosto. Nada como fugir de vez em quando das marcas brasileiras de todo dia. Me diverti, fiquei só umas duas horas, porque encheu a beça. Aliás, melhor lá é chegar umas 21h e sair meio cedo, porque o lugar fica quase na praia e é do lado de um hostel. Então já viu, dá umas 23hs, lota de gente, você começa a ver vários Hobbits, Hanson, ou qualquer outro objeto (louro de olhos azuis e pele vermelha) não identificado. O endereço é: Rua Paul Redfern, 63.

O site pra dar uma olhada: www.lordjimpub.com.br/

Por Juliana Dargains


Gatinho de Botas

Bar/Restaurante/ Boteco localizado em Vila Isabel. Área nobre, na meiúca do “pólo gastronômico” da Visconde de Abaeté, o local mais animado do bairro. Então, o bar é simples, mas a comida é deliciosa e a preços convidativos pode-se comer bem, com gosto e sair satisfeito. Cerveja sempre gelada, bebidas quentes igualmente apetitosas, além da boa frequência (sempre importante!). Sextas e sábados fica meio lotado, então chegue cedo para conseguir uma boa mesa. Todas ficam na calçada, ao ar livre. Tem até televisão dos dois lados para assistir aquela novelinha mais tarde. Na hora de chamar o garçom, gritem “Pet!”. Sei lá por que, esse é o apelido de um baixinho com cara de poucos amigos, mas que serve muito bem e depois fica mais simpático.

Endereço: Rua Torres Homem, do lado do Bar do Costa (ultra famoso na área, boa referência).
 

Por Juliana Dargains


Mofo da Lapa: diversão ou furada?

 

Nosso companheiro de pautas, o fotógrafo Salvador Scofano, mandou um post para contar sua saga no Mofo  da Lapa. Confira a história e veja se o bar é uma boa opção:

Fui convidado para um niver no Mofo da Lapa. Eu já conhecia o do Flamengo, que é aconchegante, apesar de caro, mas pelas pessoas amigas, tolerável. Então, aceitei o convite da festa na filial. Entrei no site, imprimi o convite que me dava direito a pagar R$ 13 ( o preço normal é R$ 18). Minha amiga colocou meu nome na lista de convidados também. Pronto! Começou a cagada… Olha o absurdo: se vc tem o nome na lista de convidados, paga R$ 15. Como eu apresentei o impresso, eles não sabiam o que fazer. A confusão foi parar na gerência, que fez um acordo e liberou uma bebida que eu escolhi. E eu paguei como convidado, já que a entrada não vira consumação.

Subi para o espaço reservado, onde fica uma sala que eles chamam de pista de dança e sobre esta pista tinha uns mezaninos que mal cabiam oito pessoas, um cubículo apertado e quente. Tava rolando mais três aniversários, todos em seus cubículos, onde o garçom era disputado a tapa: tinha um no bar e uma moça para o segundo piso todo. Pedi uma caipirinha e depois de dez minutos desisti porque o rapaz do bar dava preferência a quem pedia chopp. Por estar sozinho, não tive coragem nem de reclamar porque era muita gente pedindo a bebida que saia mais rápido. Detalhe: o banheiro do segundo piso não é banheiro, é curral… Vc tem que sair de ré. Cheguei às 23h, com a promessa de música ao vivo à meia-noite. Já tinha tocado uma galera. Saí 00h55 e a música ao vivo não apareceu. Desisti e fui beber nos bares da Lapa, junto com a aniversariante e os amigos. Digo que o restaurante MOFO do Flamengo vale, mas o da Lapa, na parte que eles chamam dançante, só se vc quiser sacanear teus amigos….

Postado por Marcelle Colbert


Sexta-feira 13: com ou sem o Jason ?

 

Hoje, sexta-feira 13, é dia de escolher: ficamos com o Jason ou longe dele? Eu e algumas das garotas de programas decidimos colocar o Jason pra correr com aquela máscara cafona e imunda (tenho TOC e isso me deixa agoniada, mais do que as mortes ridículas)… Estamos indo para o bar do Santos, quer dizer, não é bem o restaurante do Santos, é o Petisco da Vila, em Vila Isabel. Bar do Santos é o apelido que eu e Juliana colocamos no estabelecimento etílico, por causa do garçom gente fina que atendia lá.

Bem, vocês não terão a oportunidade de conhecer esse senhorzinho porque ele foi demitido há algumas semanas, depois de um mês de árduo trabalho. Ele marcou o lugar, people. rs*Agora, tem o Osmar para compensar. Mas, voltando ao Petisco…Ele é um clássico do bairro de Noel Rosa. A cerveja está sempre deliciosamente gelada, os petiscos, lógico, são ótimos, e a pizza, generosa. Nós recomendamos! O restaurante fica na Vinte e Oito de Setembro.

Por Marcelle Colbert


No meio do caminho, uma surpresa

É chegada a hora da verdade! Ela é cruel, mas precisa ser dita! É bom falar mal, né?! (por favor, sonoplasta! Manda uma risada maquiavélica aí…) Então, vamos ao que interessa porque sei que a curiosidade mata: Depois de uma longa jornada de trabalho, eu, Juliana e Virgínia seguimos para relaxar e tomar aquela gelada tulipa de chopp no Armazém do Chopp, no Flamengo (Dica da Aline. Entrego logo!). Já era de se imaginar que algo terrível aconteceria naquela noite, quando eu e Juliana realizamos o nosso sonho de Heleninhas RoitmEn: tomar uma dose de absinto…O sonho virou pesadelo…Quer dizer, depois da terceira bicada, desce que é uma beleza. O mais ridículo foi quando o garçom nos disse que a bebidinha tinha 50% de álcool e nós nos olhamos orgulhosas de termos feito o pedido! Que triste!

Mas, voltando ao Armazém e ao assunto do post (É pra fazer um suspense e prender o internauta)… Depois de poucos minutos, Aline, Julia (a vítima) e Renata preenchem os espaços vazios da nossa mesa, localizada perto do junkebox que tinha um setlist de arrepiar. Xuxa, Calipso e Raça Negra faziam parte dessa caixa dos infernos… (crédito para essa observação da Aline, please). Nem tudo estava ruim, gente! O ambiente é muito legal. A conversa estava ótima, o chopp uma delícia, o caldo verde maravilhoso, a porção de batata frita gostosa e o pastel… veio com um brinde: uma suculenta baratinha…Mas o garçom, atencioso, trouxe outro pastel para a Julia, que o dividiu com Juliana. Que lindo!

“Nunca me esquecerei desse acontecimento na vida de minhas retinas tão fatigadas. Nunca me esquecerei que no meio do pastel tinha uma baratinha.” Ah, mas o chopp tava uma delícia…No fim, isso foi o que importou… Povo cachaceiro! Mas, gente…chopp gelado, deliciosas pizzas de fabricação caseira e o clima de agito são os pontos marcantes do Armazém do Chopp. Pelo menos é o que diz o slogan

Por Marcelle Colbert


Sócio do Rio Rock & Blues Club?

Procurando o que fazer um dia, conheci o Rio Rock & Blues Club. O lugar é uma aconchegante casa de shows na Lapa que toca… bem, o nome já diz. Os ingressos ficam em torno de R$ 20,00, mas você pode se tornar um sócio do clube e pagar R$ 35,00 por mês. Aí você tem direito a assistir de graça shows de terça a domingo de diversos artistas que adoram tocar no lugar. Além disso, a carteirinha te dá desconto a cursos como o de guitarra (abertas às inscrições), palestras e workshops com músicos. Oportunidade que só o clube oferece!

Por Aline Magno